Pessoas flagradas em aglomerações e festas clandestinas podem ser presas em Pernambuco


 O Governo de Pernambuco tem intensificado as fiscalizações para garantir o cumprimento das medidas restritivas em todo o Estado. No fim de semana, agentes interditaram um evento com mais de 100 pessoas no Recife. Após o ocorrido, o governo estadual endureceu o tom com relação às medidas restritivas e o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, afirmou que, quem foi flagrado em festas clandestinas e aglomerações pode ser preso.

 Em pronunciamento, governador manteve a suspensão das aulas presenciais e defendeu que decisão sobre retorno do cotidiano nas escolas ainda exige muita cautelaPernambuco proíbe atividades não essenciais das 20h às 5h durante a semana

Festa da Padroeira de Limoeiro celebra 240 anos da Paróquia da ApresentaçãoDeputados defendem Projeto de Lei para classificar igrejas como serviço essencial em Pernambuco

Rua 15 de Novembro, em CaruaruEntenda quais são os serviços essenciais que podem funcionar em Pernambuco a partir do novo decreto

Como forma de conter o aumento do contágio pela Covid-19, o estão proibidas nos fins de semana as atividades não essenciais em Pernambuco até o dia 17 de março. "Não vamos mais tolerar esse tipo de comportamento. Todos que participam estão praticando um crime contra a saúde pública, previsto no artigo 268 do código penal", destacou o secretário.

Desde o início das fiscalizações, o governo havia conduzido às unidades policiais apenas os organizadores dos eventos. A partir de agora, o secretário afirma que todos os envolvidos deverão ser penalizados. "A partir de agora vamos prender todo mundo. Pode ser aglomeração festiva ou festa clandestina, vai todo mundo preso, não só o responsável. Todos os participantes serão conduzidos a uma delegacia e responderão a processo criminal", alertou.

Casos em Pernambuco

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) no último domingo (7), Pernambuco totaliza 308.284 casos confirmados da doença, sendo 32.965 graves e 275.319 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha. O Estado totaliza 11.173 mortes pela doença.

JC

0 Comentários

header ads
header ads header ads