Privatização: governo decide vender Correios em um só leilão


 Se tornou público os planos do Ministério da Economia para os Correios. Em entrevista para o jornal O Globo, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, confirmou o interesse do governo federal de privatizar 100% a estatal. A proposta da pasta deverá passar pela Câmara dos Deputados já na próxima semana, antes que os parlamentares entrem em recesso. 

Segundo Mac Cord, o esperado é a venda integral da companhia através de um leilão tradicional, onde o comprador terá direito aos ativos e passivos da estatal. O modelo chama atenção por se diferenciar dos planos feitos recentemente para a Eletrobras e BR Distribuidora, ex-subsidiária da Petrobras, baseados em operações no mercado de capitais. 

Outro ponto fundamental da venda está na regulação do serviço dos Correios, que deve passar por mudanças. Para assegurar o atendimento nacional, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) passará a regular as atividades do Sistema Nacional de Serviços Postais já se valendo de outro nome, a Agência Nacional de Comunicações (Anacom). 

"A empresa vai pegar o Brasil inteiro. A gente chegou a avaliar fatiar por região, mas entendemos que para garantir a universalização é preciso ter o subsídio cruzado dentro da própria empresa", prometeu Mac Cord. 

Com a aprovação da Câmara, o governo pretende leiloar os Correios em março de 2022, no mesmo trimestre da privatização da Eletrobras. A estimativa do valor dependerá do edital, que deve ser publicado ainda neste ano, e de uma avaliação das contas da estatal. 

Diário de Pernambuco

0 Comentários

header ads
header ads
header ads