Ministério Público vai abrir investigação para apurar realização de cavalgada em Chã Grande


 O promotor de justiça de Chã Grande, Gustavo Dias Kershaw, anunciou ainda nesta segunda-feira (25), que irá pedir a instauração de investigação por parte da Polícia Civil, sobre a realização de uma cavalgada no município, no último domingo (24). Segundo o promotor, os organizadores serão responsabilizados por crime contra a saúde pública.

O evento em questão foi a Cavalgada Cavalo Selado, realizado pelo terceiro ano. Mesmo em meio a uma pandemia, quando eventos públicos e privados estão proibidos, a organização decidiu realizar a cavalgada, que reuniu dezenas de pessoas. "Ressalto que havíamos alertado os organizadores sobre a proibição", comentou o promotor em uma nota nas redes sociais.

A proibição havia sido anunciada ainda na quinta-feira (22), através de um e-mail encaminhado pela Promotoria de Justiça de Chã Grande às organizadoras. No envio eletrônico, Dr. Gustavo destacou a existência de um decreto estadual, proibindo a realização de quaisquer tipos de eventos, independentemente do número de participantes ou o local de realização.

A proibição foi uma resposta ao ofício encaminhado pela organização do evento à Promotoria de Justiça, informando sobre a programação. No documento, os organizadores informam o planejamento de participação de até 300 pessoas, finalizando com show de Dedinho Pancadão. Segundo Laura Paiva, uma das organizadoras do evento, o quantitativo de pessoas teria sido reduzido. "Só foram vendidas 100 camisas, mas quando se faz festa, todo mundo quer tá junto", disse à reportagem.

Ainda segundo Laura, também houve a distribuição de máscara e o uso de álcool em gel, mas não é o que aparece nas imagens divulgadas no perfil no Instagram, retiradas em seguida . Nas imagens, algumas ainda salvas, é possível notar que os participantes estavam sem a máscara. "Eu comprei e saí distribuindo. Só que o povo não respeita", explicou.

Inicialmente, o evento seria realizado em dezembro, mas acabou sendo suspenso justamente por conta da Covid-19. Nesta segunda-feira, em conversas com o Chã Grande News, as organizadoras apresentaram apenas uma cópia do ofício informando a Prefeitura de Chã Grande sobre a realização da cavalgada. O documento tem apenas o carimbo de recebido por parte do poder público municipal, o que é normal no recebimento de ofícios.

A realização de eventos está proibida como forma de evitar a propagação do novo coronavírus. No mesmo dia, por exemplo, a Igreja Matriz de São José realizou a procissão motorizada de São Sebastião, sem a participação dos fiéis nas ruas da cidade. No ano passado, apenas uma festa do calendário chã-grandense foi realizada, a de São Sebastião, no mês de janeiro. São José, Trabalhador, Festival do Agricultor e Santa Luzia ficaram apenas na lembrança do público, assim como o período junino e o desfilo de 07 de setembro.

Chã Grande News

0 Comentários

header ads
header ads header ads