GRAVATÁ: Joaquim Neto (PSDB) deve ter candidatura impugnada pela Lei da Ficha Limpa


Uma das principais lideranças políticas da cidade de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), deve ter a candidatura impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A informação foi confirmada pelo advogado Heverton Lopes, que, através do artigo 1º, I, da Lei Complementar 64/90, destacou que o candidato tucano teve duas contas reprovadas, em 2014, e está inelegível por oito anos consecutivos.

“Ele tentou na Justiça, faltando um mês para as eleições deste ano, uma liminar para suspender os efeitos dos julgamentos das contas, que foram rejeitadas dos exercícios 2006 e 2008, mas não conseguiu. A juíza não deferiu e ordenou que a Câmara de Vereadores apresentasse contestação em até 60 dias úteis, para só depois apreciá-la O processo de nº 0001369-52.2016.8.17.0670 tramita na Primeira Vara Cível da Comarca de Gravatá e qualquer cidadão pode obtê-lo”, destacou Heverton Lopes.

Diante do cenário, o advogado acredita que o anúncio da candidatura do ex-prefeito não passa de uma estratégia para conseguir manter os eleitores e apoiadores. “Mas, por óbvio, ele sabe que terá que substituir seu nome em tempos de campanha eleitoral”, concluiu.

PSDB lança Joaquim Neto como candidato à Prefeitura de Gravatá

Na última sexta (5), o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) lançou oficialmente a candidatura de Joaquim Neto, que concorrerá ao cargo de prefeito pela Prefeitura Municipal de Gravatá.  O anúncio do ex-prefeito como candidato provocou reações adversas no meio político local, uma vez que o nome do tucano está incluso na lista dos gestores públicos com contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), segundo a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135/2010). Joaquim Neto aparece com cinco processos.

Mais Agreste
header ads
header ads
header ads