Secretaria de Saúde desmente informação de suposta negação de atendimento em hospital de Chã Grande


 A Secretaria de Saúde de Chã Grande divulgou há poucos instantes uma nota à imprensa desmentindo informações de que um homem teria sido impedido de ser atendido no Hospital Geral Alfredo Alves de Lima, como divulgado logo cedo por perfis noticiosos.

Confira a nota na íntegra:

A Prefeitura Municipal de Chã Grande, através da Secretaria Municipal de Saúde, vem, através deste, trazer à tona os fatos referentes a uma suposta negativa de atendimento no Hospital Geral Alfredo Alves de Lima, que teria ocorrido no fim da manhã desta quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022. 

A Secretaria de Saúde tomou conhecimento sobre o fato através de perfis jornalísticos online. Imediatamente, a pasta destinou uma averiguação do assunto junto à diretoria do Hospital Geral Alfredo Alves de Lima, que seguiu com os procedimentos internos para apurar o fato da melhor forma possível.

O jovem que é citado na publicação não chegou a solicitar atendimento na unidade hospitalar. Segundo os relatos obtidos junto aos funcionários que estavam de plantão, ele teria apenas pedido uma máscara ao maqueiro. Sequer o jovem chegou a adentrar até a recepção do hospital chã-grandense.

Após receber a informação, por parte do maqueiro, de que não havia máscaras disponíveis para doação, ele, que trabalha numa empresa que presta serviços à Companhia Pernambucana de Saneamento e Abastecimento (Compesa), agradeceu e se despediu, indo embora.

A Secretaria de Saúde informa que em nenhum momento faz a negativa de atendimentos no Hospital Geral Alfredo Alves de Lima ou nas Unidades Básicas de Saúde, na área urbana e rural. Sabe-se da responsabilidade em atender bem a todos.

A Secretaria de Saúde ainda lembra que está em vigor o Art. 6º, do Decreto Nº 51.749, de 29 de outubro de 2021, onde “permanece obrigatório, em todo território do Estado, o uso de máscaras pelas pessoas, nos espaços de acesso aberto ao público, incluídos os bens de uso comum da população, vias públicas, no interior dos órgãos públicos, nos estabelecimentos privados e nos veículos públicos e particulares, inclusive ônibus e táxis.”

“Parágrafo único. Os órgãos públicos e os condutores e operadores de veículos ficam obrigados a exigir o uso de máscaras pelos seus servidores, empregados, colaboradores, consumidores, usuários e passageiros, assim como a apresentação do comprovante do esquema vacinal, quando couber.”

Apesar disso, as pessoas que chegam até o hospital chã-grandense para atendimento, e não estão de posse de máscaras, recebem o item. A Secretaria lembra ainda que não há disponibilidade do material para distribuição às pessoas que não irão utilizar o serviço, já que também é necessário servir aos profissionais de saúde que atendem diariamente não apenas aos moradores de Chã Grande, mas também de outras cidades que acabam necessitando de atendimento neste local.

Esses são os esclarecimentos da Secretaria de Saúde de Chã Grande sobre o assunto outrora abordado pelos veículos de imprensa.

Colocamo-nos à disposição para mais esclarecimentos possíveis, ao mesmo tempo em que agradecemos o espaço disponibilizado.

Chã Grande, 17 de fevereiro de 2022


0 Comentários

header ads
header ads
header ads