Ômicron avança e casos de H3N2 diminuem em Pernambuco


 De acordo com levantamento da Secretaria de Saúde de Pernambuco, a segunda semana epidemiológica de 2022 registrou uma desaceleração dos casos de Síndrome respiratória aguda grave (Srag). Foram 1.189 notificações, o que representa uma redução de 15% em uma semana e um crescimento de 25% em 15 dias. Neste mesmo período, foram 672 solicitações por vagas de UTI - uma redução de 16% em uma semana e de 15% nos últimos 15 dias.

O secretário de Saúde, André Longo alertou que este movimento ainda é resultado do impacto dos números de influenza A (H3N2) registrados nos últimos dias de 2021 e começo de 2022. De acordo com o gestor, os casos positivos de influenza diminuíram abruptamente nas últimas três semanas.

Longo alertou ainda que, diante da circulação da variante Ômicron, a recomendação é seguir com todos os cuidados necessários. "Não podemos baixar a guarda. A Covid-19 ainda é uma ameaça e nosso alerta se volta, agora, para a variante Ômicron, que já é dominante em nosso Estado e tem impactado no aumento da positividade dos casos leves da doença", pontuou.

Segundo a SES, na última terça-feira, a cada 100 testes rápidos de antígeno realizados nos centros estaduais de testagem, 35 positivaram para Covid-19. Já a positividade geral das amostras processadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-PE) está em 19% - na semana epidemiológica 51 de 2021 (dezembro), a taxa era de apenas 2,8%.

Vacinação

Devido a circulação da Ômicron em Pernambuco, André Longo reforçou, a importância da vacinação contra a Covid-19 para evitar casos graves da doença. "A Ômicron tem uma capacidade de transmissão muito superior às outras variantes, conseguindo contaminar de forma recorrente até mesmo pessoas vacinadas contra a doença. Mas, mesmo que a vacina não nos deixe livres da infecção, a doença em não vacinados tem impacto muito pior. Em vacinados, os sintomas, geralmente, são leves, muito parecidos com os de uma gripe, com coriza e incômodo na garganta. Já não estar vacinado, ou só parcialmente vacinado, pode significar hospitalização e morte", alertou.

Aumento no número de leitos  

A outra frente de combate às doenças respiratórias do Governo de Pernambuco é a ampliação de leitos destinados a casos suspeitos e confirmados. Nos últimos 27 dias, o Estado abriu 667 leitos para tratar casos de Síndrome respiratória aguda grave (Srag), sendo 274 de UTI. O montante equivale a cerca de 20 vagas abertas por dia. Com esta força-tarefa, Pernambuco conseguiu zerar a fila de espera de pacientes por um leito. "Com a intensa mobilização de vagas hospitalares, a fila de espera por um leito, que já teve mais de 200 pacientes no começo do mês, hoje está zerada, já que temos uma oferta de vagas superior às solicitações", pontuou André Longo.

A previsão é que, nos próximos dias, o Governo abra outros 440 leitos, sendo 258 de terapia intensiva, dedicados aos casos de Srag. Com a ampliação das vagas, o governador Paulo Câmara autorizou, nesta semana, a contratação de 530 profissionais de saúde, sendo 290 médicos, por meio de seleção pública e convocação de concurso. "Desde 2020, já foram mais de 13 mil profissionais contratados, o que é a maior mobilização de força de trabalho para a saúde da história de Pernambuco", ressaltou o secretário.

Diário de Pernambuco

0 Comentários

header ads
header ads
header ads