Gravatá e Amaraji proíbem o acendimento de fogueiras no São João


As prefeituras de Gravatá no Agreste e Amaraji, na Mata Sul pernambucana, decidiram proibir o acendimento de fogueiras durante o período junino. Várias cidades do interior do estado também adotaram medidas semelhantes por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

A prefeitura de Gravatá tomou a decisão em uma reunião do Prefeito Joaquim Neto com a Secretaria Municipal de Saúde, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Ministério Público. O acendimento de fogueiras foi proibido devido à ocorrência da fumaça e o cheiro de combustão, que podem piorar o quadro clínico dos pacientes com a doença.

“Recebemos muitos pedidos da população através das nossas redes sociais pedindo a proibição das fogueiras e estamos tomando esta decisão pensando na saúde pública. Sei que essa é uma tradição de gerações, mas cuidar da nossa saúde é mais importante agora, ano que vem vamos ter muito o que celebrar ”, disse o prefeito.

Todas as festividades também foram suspensas no cidade. A Prefeitura também pede que a população não faça aglomerações de mais de 10 pessoas em suas casas.

Em Amaraji, a Prefeitura também adotou as mesmas medidas recomendas pelo Ministério Público de Pernambuco divulgando nas redes sociais. Para a atual gestão, o acendimento das fogueiras seria prejudicial para aquelas pessoas que estão em tratamento contra a Covid-19 que atinge principalmente o sistema respiratório.

Segundo a promotoria, a tradição junina de acender fogueiras e soltar fogos pode causar aglomerações e aumentar os riscos de transmissão do novo coronavírus, além de aumentar as chances de problemas respiratórios e acidentes, o que pode sobrecarregar os hospitais. A prefeitura de Sanharó também cancelou todas as festas de São João de 2020.

Outras cidades também proibiram fogueiras

Outros municípios do interior também decidiram proibir o acendimento de fogueiras por causa da pandemia. Em Bezerros, no Agreste, a prefeitura publicou um decreto proibindo as fogueiras. Haverá fiscalização nos dias de festa para garantir o cumprimento, tanto na cidade como na zona rural. Segundo a prefeitura, quem descumprir estará sujeito à responsabilização por crime contra a saúde pública, tipificado no artigo 268 do Código Penal.

A Prefeitura de Pesqueira, também no Agreste, publicou um decreto recomendando que não sejam utilizados fogos de artifício por causa do risco de acidentes. O objetivo é evitar uma superlotação de hospitais por intoxicação por fumaça ou acidentes com fogos, além de aglomerações.

A Prefeitura de Glória do Goitá, na Zona da Mata, decretou a proibição da venda de fogos de artifício e o acendimento de fogueiras em locais públicos e privados durante o período junino.

A Prefeitura de Petrolina, no Sertão pernambucano, decidiu proibir o acendimento de fogueiras e o uso de fogos de artifício durante o São João.

header ads
header ads header ads